MUSOTECA - A Ocarina

MUSOTECA - A Ocarina

OCARINA

Você conhece instrumento musical? Sabe de sua origem? De que material são feitas? Ou ainda como tocá-la?

A Ocarina é um instrumento de sopro muito antigo. Sua origem não é linear, porém, fontes afirmam que a ocarina é de origem chinesa, enquanto outros afirmam que ela surgiu na Mesopotâmia. Porém, nas civilizações antigas da América Central e do Sul, foram encontrados pelos arqueólogos grande quantidade de instrumentos de sopro, incluso as ocarinas.


Então, é difícil apontar com exatidão e com certeza absoluta quem foi a "cabeça pensante" que criou este instrumento tão singular. Uma coisa é certa, que o nome pelo qual conhecemos hoje este instrumento musical, ocarina, foi dado por Giuseppe Donatti, um músico italiano, no século XIX, cujo significado provém do dialeto bolonhês, "pequeno ganso". Isto porque para Donatti, o instrumento musical lembrava uma cabeça de ganso ou pato.

TIPOS DE OCARINA

Existem ocarinas de várias formas e desenhos, de vários materiais e tamanhos. Elas podem ser feitas de porcelana, de plástico, de madeira e até de vidro.

A quantidade de furos varia e pode mudar de ocarina para ocarina, podendo ter de quatro a treze furos. A posição desses furos no corpo da ocarina não são padronizadas, isto depende de cada construtor. 



O legal da ocarina é que as notas não são limitadas ao número de furos e podem, conforme as combinações de abertura, fechamento e abertura parcial, produzir sons diferentes.

Conforme a intensidade do sopro, é possível oitavar a nota que está sendo tocada.

TOCAR OCARINA

Para aprender a tocar este instrumento musical é preciso atentar para o número de furos no corpo de sua ocarina, pois existem dedilhados diferentes para poder produzir uma mesma nota. Assim, se você possui uma ocarina de 4 furos, por exemplo, o dedilhado das notas serão diferentes da ocarina de 8 furos, e assim por diante.

ASSISTA

Alcasami Professional Ocarina Tuned in D


The Hobbit - Misty Mountains Cold on STL Ocarina



Postar um comentário

0 Comentários